PROJETOS COM INVESTIMENTO SUPERIOR A US$ 250 MI DEVEM INICIAR PRODUÇÃO ATÉ 2023

Três projetos de mineração no Brasil devem começar a operar nos próximos dois a três anos e produzirão
minério de ferro, zinco, cobre e ouro. Os projetos têm investimento previsto acima de US$ 250 milhões e
todos já estão com obras em andamento. Veja a relação abaixo.

Serrote da Laje
O projeto de minério de ferro, ouro e cobre de Serrote da Laje está localizado no estado de Alagoas
e consiste em 53 licenças de exploração, totalizando 86.400ha, e um pedido de concessão de 392ha. Em
agosto, a proprietária do projeto, Mineração Vale Verde, disse que um estudo definitivo de viabilidade (DFS,
na sigla original em inglês) havia sido concluído, indicando “economia robusta a preços atuais e com
potencial de crescimento”.
Com base no relatório, Serrote exigirá US$ 250 milhões em capital para uma operação convencional
a céu aberto de baixa faixa, destinada a produzir 20.000 t/ano de CuEq em 14 anos. Recursos fora do atual
plano de mina e depósitos satélites próximos podem apoiar a expansão ou extensão da vida da mina, criando
mais valor. Após o DFS, quatro instituições financeiras apoiaram a Appian com uma linha de financiamento
de projetos de cerca de US$ 160 milhões e a primeira produção é esperada no primeiro semestre de 2021.
As obras iniciais estão em andamento, assim como a aquisição de itens de longo prazo.

Salobo III

A mina de Salobo da Vale é uma operação de cobre de classe mundial no Pará e a empresa brasileira
vê Salobo III como uma oportunidade de expansão de brownfield de baixo custo através da adição de uma
planta de concentração e do uso da infraestrutura existente da Salobo. Em dezembro de 2018, a Vale iniciou
a construção de Salobo III, que tinha todas as licenças ambientais aprovadas. A construção deve terminar
em junho de 2022, seguida de um período de aceleração e comissionamento até setembro de 2023, quando
as operações estão programadas para começar. Com um capex original de US$ 450 milhões, Salobo III tem
uma capacidade de 33.000 t/a de cobre na placa de identificação.

Aripuanã

Localizado no Mato Grosso, Aripuanã é um projeto polimetálico subterrâneo contendo zinco,
chumbo e cobre. O projeto possui um capex de US$ 392 milhões e capacidade de 23.000 t/a de chumbo,
66.700 t/a de cobre e 3.700 t/a de ouro. Em outubro, a mineradora Nexa Resources concluiu a aquisição da
Karmin Exploration. Como resultado, a Nexa e suas afiliadas passaram a possuir a totalidade do projeto
Aripuanã. No terceiro trimestre do ano passado as obras do projeto continuaram avançando e 66% do
investimento total já foram comprometidos. Paralelamente à construção, a Nexa disse que sua equipe de
exploração continua a sondagem de brownfields em Aripuanã, focada na expansão de recursos minerais nos
alvos de Babaçu e Massaranduba (corpos satélites que poderão ser integrados no futuro com o projeto
existente). O início da produção está previsto para o primeiro trimestre de 2021. Com informações da
BNamericas.

Fonte: Notícias de Mineração
Data: 02/01/2020

Visit Us On FacebookVisit Us On Instagram