PROJETO DA MTR PODE PRODUZIR 9 MIL TONELADAS ANUAIS DE TERRAS-RARAS

De acordo com Elmer Salomão, diretor da mineradora, ainda é cedo para
projetar o início da produção. Segundo ele, a expectativa da empresa é de obter a
Licença Prévia para o projeto no final de 2018. No ano seguinte, conseguir a Licença de
Operação, para no final de 2019 ou início de 2020 iniciar a construção da refinaria e da
mina. Antes de meados de 2021 o projeto Morro do Ferro não deve iniciar a produção,
porém Salomão afirma que o projeto depende de “várias etapas sobre as quais não tem
controle”.
“O projeto é uma pequena mina para uma grande refinaria”, afirmou o
executivo, em entrevista por telefone ao Notícias de Mineração Brasil (NMB) na tarde
desta terça-feira (21). Segundo ele, as projeções para o tempo do projeto também
podem ser reduzidas, de acordo com fatores mercadológicos e parcerias.
“Estamos fazendo os licenciamentos, vamos entregar o EIA/Rima por volta
de julho ou agosto do ano que vem”, declarou. “O projeto está indo bem. A cada dia que
passa é melhor que o dia anterior. Estamos muito felizes com o projeto, podemos
considerar que é um dos melhores projetos do mundo”, disse.
Segundo as projeções atuais da empresa, o investimento no projeto é de
aproximadamente US$ 150 milhões, no entanto o valor pode variar de acordo com o
volume de produção. Para os três primeiros anos, a projeção da MTR é de produzir 3 mil
toneladas de óxidos de terras-raras, entre o quarto e o sétimo ano, 6 mil toneladas, até
chegar às 9 mil toneladas do oitavo ao décimo oitavo ano do empreendimento.
De acordo com a MTR, o minério do projeto Morro do Ferro é um material
saprolitizado derivado das rochas alcalinas regionais, fortemente brechado e alterado
hidrotermalmente. Localmente, associa-se ao corpo de minério uma trama de veios de
magnetita/goetita. A natureza do depósito, constituído por rochas alteradas e argilosas,
sem cobertura estéril, permite lavra a céu aberto com desmonte mecânico.
Mineração Terras Raras
A Mineração Terras Raras (MTR) é uma sociedade anônima brasileira de
capital fechado, 100% nacional, focada exclusivamente no desenvolvimento do depósito
de Terras Raras de Morro do Ferro, em Poços de Caldas (MG). A empresa foi adquirida
em 2012 por seus atuais acionistas.
O conselho da mineradora é formado pelo CEO, Elmer Salomão, geólogo
com 45 anos de experiência no setor de mineração e ex-diretor-geral do Departamento
Nacional de Produção Mineral (DNPM); Jercineide Castro, economista; Afonso
Figueiredo, geólogo com 47 anos de experiência no setor de mineração e trabalhos em
mineradoras como Vale, BP Minerals e Rio Tinto; e Antônio Carlos Menezes, diretor da
empresa e economista com 45 anos de experiência no setor e executivo da Gold Miners
Brazil Association.
Fonte: Notícias de Mineração
Autor: Paulo Mangerotti
Data: 21/11/2017

Deixe um comentário

Visit Us On FacebookVisit Us On Instagram