MOMENTO É EXCELENTE, DESDE QUE AS MINERADORAS NÃO O ESTRAGUE COM NEGÓCIOS “ESTÚPIDOS’, DIZEM ANALISTAS

As maiores mineradoras do mundo estão próximas da expansão – desde que
elas não estraguem tudo esbanjando o dinheiro em transações absurdas, segundo a
Sanford C. Bernstein.
As mineradoras estão em um momento excelente, animadas com os preços
de commodities que atingiram uma sequência recorde e anos de medidas de autoajuda
que fortaleceram os balanços. Mas para que os investidores recebam todos os
benefícios, o setor não deve repetir os erros do passado, disseram analistas da
Bernstein, entre eles Paul Gait, em um relatório nesta sexta-feira.
“As mineradoras parecem estar na posição mais saudável que observamos
em anos”, disse Gait no relatório. “Agora, o verdadeiramente importante para os
investidores, e, portanto, para a avaliação do setor, é a confiança em que de agora em
diante mais dinheiro fluirá de volta para os acionistas. ”
As mineradoras foram obrigadas a vender ativos para diminuir suas dívidas
e tranquilizar os investidores em 2015, durante uma forte queda nos preços das
commodities que ameaçou a sobrevivência de alguns dos maiores nomes do setor. A
recuperação nos preços dos metais e a reestruturação de balanços fizeram com que o
setor ressuscitasse e passasse a focar no crescimento e nos retornos para os acionistas.
Hoje, os investidores parecem apoiar o setor. O índice FTSE 350 Mining
opera no valor mais alto em quase cinco anos e a Anglo American e a Glencore mais do
que quadruplicaram seus valores nos últimos dois anos. “Contudo, o setor já mostrou
indisciplina com o capital e o retorno de dinheiro aos acionistas no passado, quando
gastava isso em projetos novos e em muitas aquisições”. A Bernstein diz que do fluxo de
caixa de US$ 1,7 trilhão do setor, nos últimos 20 anos, quase US$ 1,2 trilhão foram
destinados ao dispêndio de capital e transações, e somente US$ 320 bilhões a
dividendos.
“Ser uma mina de ouro não tem nada de errado”, disse Gait no relatório.
“Um golpe mortal em particular para a reconstrução da confiança entre os investidores
e a administração das mineradoras – especialmente para o grande número de novos
líderes nos conselhos e entre os executivos – seriam fusões e aquisições com
megatransações presunçosas. ”
Fonte: Bloomberg
Autora: Patrícia Xavier
Data: 05/01/2018

Deixe um comentário

Visit Us On FacebookVisit Us On Instagram