FRETES PARA MINÉRIO DEVEM TER QUEDA NO FIM DO ANO

O mercado de fretes para granéis sólidos, como minério de ferro e carvão,
no fim deste ano vai enfraquecer e tirar um pouco do brilho recente desse mercado que
ainda absorve o impacto da estratégia da China para reduzir a poluição, diz a consultoria
Maritime Strategies International (MSI), que tem sede em Londres
O mercado de granéis sólido ignorou os cortes na produção de aço
promovidos pelo governo chinês para registrar frete mais altos em outubro, com médias
mensais no mercado à vista superiores a qualquer mês desde 2014 para todas as
referências em granéis.
As importações de minério de ferro para a China continuam a ser o principal
fator que influencia o frete, apesar dos riscos negativos. Os dados mais recentes sobre
o setor siderúrgico na China mostram uma desaceleração dos níveis de produção em
relação ao terceiro trimestre, mas ainda há uma forte demanda para as importações de
minério.
Os preços do carvão metalúrgico e minério de ferro na China aumentaram
cerca de 17% de janeiro a novembro, outro sinal de que ainda há uma forte demanda.
De acordo com os dados derivados dos movimentos de AIS, um sistema de
monitoramento de navios, as exportações brasileiras para os navios capesize
aumentaram 6,5% na comparação anual enquanto que as da Austrália tiveram alta de
3,1% em outubro. A contradição com a produção de aço mais fraca e as importações
mais elevadas de minério é parcialmente explicada pela menor produção de minério
doméstico na China: setembro foi o pior mês para a produção de minério desde maio e
teve uma queda de 13% desde o pico em junho.
“Este é um princípio fundamental que suporta as previsões da MSI para taxas
de frete mais fortes no final deste ano e é uma indicação da crescente preferência de
siderúrgicas chinesas por minério de ferro de maior qualidade na Austrália e no Brasil”,
disse o analista Will Tooth, da MSI. “A MSI acredita que o foco do governo chinês no
combate à poluição terá mudanças ainda maiores que vão afastar as siderúrgicas do uso
de minério doméstico com menor teor de ferro”.
Apesar de a MSI prever uma queda nos ganhos no mercado à vista (spot, em
inglês), em janeiro do próximo ano, para todas as categorias de navios, sendo que a
maior queda acontecerá para navios do tipo capesize. Espera-se que os fretes para os
navios capesize fique em torno de US$ 12.700 por dia em janeiro, com queda de 36%
em relação à média de outubro.
Além de esperar um mercado mais fraco em janeiro, a MSI prevê um
crescimento anual da frota em 2,5% nos próximos três meses. Esse crescimento
relativamente forte vem principalmente do grande aumento nas entregas esperadas
para janeiro.
“No entanto, a melhor notícia para o mercado é que as entregas deverão
diminuir a partir daí, especialmente para o segmento de 10.000 a 65.000 tpb [tonelada
de porte bruto] para o qual a carteira de pedidos atualmente representa apenas 5% da
frota”, acrescentou Tooth. “Entregas atrasadas e um aumento sazonal da demanda vão
dar suporte às taxas [de frete] no segundo trimestre no próximo ano e esperamos um
aumento em abril em cerca de 23% em relação às mínimas de janeiro”.
Fonte: Notícias de Mineração
Data: 27/11/2017

Deixe um comentário

Visit Us On FacebookVisit Us On Instagram