ENTENDENDO COMPETITIVIDADE NA INDÚSTRIA MINERAL

Uma vez que a mineração produz commodities, ou seja, produtos com
qualidades e características uniformes, a diferenciação dos bens minerais de acordo
com quem os produziu é muito pequena, ou até inexistente, sendo assim os preços são
universais e determinados diariamente pelas flutuações na oferta e na demanda.
Por exemplo, o preço internacional da tonelada de minério de zinco de
acordo com a Bolsa de Valores London Metal Exchange – LME na data de 02/12/2016 foi
de US$ 1.198. De uma maneira simplificada, este é o valor que será utilizado em todas
as transações envolvendo zinco no mundo.
Nesta indústria, portanto, é considerado ganhador aquele que conseguir
produzir o bem mineral pelo menor custo, obtendo assim as melhores margens já que
o preço é universal.
Existe uma curva de custos de produção, chamada C1 Cash Cost, que é
vendida pelas consultorias especializadas em mineração e amplamente utilizada pelas
empresas do setor, que acompanha e atualiza os valores de produção das minas de todo
mundo para os diferentes bens minerais. Se a empresa está posicionada no primeiro
quartil de custos, ela é considerada uma produtora eficiente.
Para determinação do custo C1 cash cost e homogeneização dos dados da
indústria, são considerados os seguintes itens para todas as minas em avaliação: custo
de concentração do bem mineral (extração, britagem, refino, mão-de-obra, terceiros,
energia, taxas, serviços associados) somados aos custos de realização (frete, treatment
charge).
Por sua vez, o custo de produção é inversamente proporcional ao teor do
minério em questão contido nos concentrados produzidos pelas minas, uma vez que
serão necessários menores volumes de material para produção daquele determinado
metal.
Exemplificando, uma determinada mina possui um minério de zinco de
qualidade excepcional (chamado world class ou tier 1) com teores médios de 13% Zn
contido no concentrado. Comparativamente, a média de produção no mundo é de cerca
de 7% de Zn no concentrado. Portanto, para se produzir 1 kg Zn metálico nesta mina
será necessário 2 vezes menos concentrado do que nas outras operações no mundo. Daí
o fato dela estar posicionada no primeiro quartil da curva C1 Cash Cost.
Todavia em mineração, os teores médios dos minérios tendem sempre a cair
ao longo da vida da mina, uma vez que as fontes se esgotam. Logo, quanto mais nova
uma operação maior será o teor médio do minério e menor será o custo de produção.
Para uma mineradora manter-se competitiva é preciso, portanto, renovar o
seu portfólio de ativos garantindo operações com teores altos nos minérios de interesse.
Outro fator importante para manter a competitividade no setor é o
investimento em tecnologias de extração e refino mineral, além de uma boa
manutenção (estabilidade de produção) e controle das operações.
Fonte: Linkedin
Autora: Debora Amato Lourenço Rossi
Data: 06/02/2018

Deixe um comentário

Visit Us On FacebookVisit Us On Instagram