DIGITALIZAÇÃO TRANSFORMARÁ O FUTURO DA MINERAÇÃO

Em busca da otimização de seus processos, mineradoras estão investindo
cada vez para transformar seus processos em digitais. “Nós desenvolvemos uma
plataforma industrial que permite utilizar os softwares na nuvem, o que faz com que a
tecnologia seja muito mais acessível, barata e rápida de implementar”, afirma Claudio
Toro, diretor comercial para América Latina da GE.
Segundo o executivo, a empresa também desenvolveu uma série de
aplicativos que fazem uma análise complexa que permite prevenir falhas em
equipamentos ou processos. “A tecnologia está direcionada ao desenvolvimento do
software para melhorar a produtividade das mineradoras. Hoje em dia se pode melhorar
recuperações nas minas de cobre que vão entre 5 e 7 pontos percentuais em
recuperação, o que significa retornos milionários para as empresas com um
investimento bastante baixo”, disse.
De acordo com especialistas, a tendência no setor de mineração é eliminar
ativos, ter menos equipamentos nas minas, assim como processar o mineral in situ.
Outra tendência são as minas automatizadas, de forma a possibilitar menos
trabalhadores dentro da operação, para iniciar o trabalho remoto, o que significa colocar
mais inteligência em equipamentos móveis.
“Há empresas com as quais estamos associados, que estão usando nossa
tecnologia para operar caminhões autônomos, sim condutor. A operação de caminhões
no futuro vai ser feita desde o centro de operação remota”, disse Toro.
Por outro lado, no Peru, a ABB, empresa de soluções tecnológicas de
automatização e energia para a indústria, digitalizou os processos de mais da metade
das minas do país durante mais de 20 anos. Neste ano a empresa apresentou ao
mercado a plataforma interativa ABB Ability, que integra 180 soluções e serviços digitais
alojados na nuvem e destinados a resolver diversos problemas industriais e gerar novas
oportunidades de negócio para os clientes.
“A digitalização é uma megatendência. As empresas de mineração devem
adaptar-se as condições de um mercado exigente, que gere maior rendimento de
material mediante operações inteligentes”, afirma Miguel Vallés, gerente de serviços da
ABB no Peru.
Para ele, um dos desafios que enfrenta a mineração é melhorar a
comunicação entre os diferentes equipamentos e sistemas da mina, para que a
informação não esteja isolada, mas permitindo a integração mediante uma melhor
conectividade. Do contrário, isso duplicaria os custos.
Valles afirma que a indústria a nível mundial perde US$ 20 bilhões, o que
representa 5% de sua produção anual, devido a paradas de produção não programadas.
“80% dessas perdas se podem evitar e 42% acontecem por erro do operador. Para isso,
existem soluções como o sistema de controle distribuído ABB Abilitity, que faz o
monitoramento e assistência remota e tem a capacidade de melhorar a eficiência, a
performance do operador e a utilização dos ativos”, declara.
Investimento
Segundo Toro, atualmente o Peru é o país que mais está investindo na região
no setor de mineração. “O investimento a ser executado até 2020 está em torno de US$
40 bilhões. Embora esse investimento esteja relacionado com novas instalações. Para
vários clientes interessa poder melhorar a produtividade dessas operações, para
alcançar melhorias em produtividade da ordem de 2% a 3%, o que significa maiores
ganhos para a mineração no Peru”, disse.
Fonte: Notícias de Mineração
Data: 17/11/2017

Deixe um comentário

Visit Us On FacebookVisit Us On Instagram