CPRM LANÇA PLANO ESTRATÉGICO PARA OS PRÓXIMOS CINCO ANOS

O Serviço Geológico do Brasil (CPRM) lançou na terça-feira (19/12), no
escritório do Rio de Janeiro, o Plano Estratégico da instituição para os próximos cinco
anos, em cumprimento a nova legislação das Estatais (Lei 13.303/2016). Prestes a
completar 50 anos, a empresa atualizou após duas décadas sua missão, visão de futuro
e valores para fazer frente ao desafio de dialogar com os diversos segmentos da
sociedade e apresentar soluções inovadoras em geociências para fundamentar a
tomada de decisão de seus cliente e usuários.
A empresa vai focar sua atuação em produtos e serviços que contribuam
para o desenvolvimento das atividades setor mineral, o uso racional dos recursos
hídricos, a gestão territorial, prevenção aos desastres naturais e aumento da
disponibilidade hídrica.
“É com muita satisfação que apresento o Planejamento Estratégico do
Serviço Geológico do Brasil. Ele dotará nossa instituição de verdadeiras ferramentas de
gestão permitindo acompanhamento dos nossos projetos e programas. Com isso,
teremos maior transparência em nossa atuação, permitindo a sociedade conhecer
nossos programas e resultados” destacou o diretor-presidente Esteves Colnago.
O diretor-presidente lembrou que somos uma instituição técnica-científica
e isso nos orgulha. “Os serviços geológicos do mundo foram mudando ao longo do
tempo e, agora, se acham focados em um melhor atendimento das demandas sociais.
Conhecer os recursos naturais, os riscos inerentes à vida em um planeta dinâmico, e em
constate transformação, são atribuições básicas dessas instituições”, afirmou.
“Todo o esforço dedicado nestes últimos meses permitiu a construção de
uma proposta capaz de atender aos desafios do cenário moderno e do novo contexto
econômico, legal e governamental. As diretrizes traçadas buscam orientar as atividades
da empresa para os próximos cinco anos, bem como a utilização efetiva dos recursos
públicos em prol da entrega de soluções às necessidades e demandas da sociedade pela
empresa”, ressaltou.
Colnago agradeceu aos empregados e a todos que participaram dessa
construção coletiva e se envolveram nas discussões com críticas e sugestões. Citou as
entidades representativas CONAE e AGEN, que deram importantes contribuições.
Também destacou o apoio da Fundação Dom Cabral pela colaboração na busca pelo
aprimoramento do modelo de gestão da empresa.
“Meu particular agradecimento ao ministro de Minas e Energia Fernando
Coelho, ao Secretário Vicente Lobo e ao ex-presidente Eduardo Ledsham pela confiança
em mim depositada. Por oportuno, agradeço também aos senhores Nelson Le Cocq
D’Oliveira, Stenio Pereira, José Carlos Garcia, José Leonardo Andriotti, Antônio Carlos
Bacelar e Juliano Oliveira que, ao longo desse ano, dividiram comigo as
responsabilidades da diretoria executiva. ”
O diretor-presidente afirmou que o grande desafio da instituição é mostrar
para a sociedade que o recurso público investido nela gera resultados essenciais (valor
público). “Esse conceito deve permear nossas atividades, desde a identificação da
demanda, realização das pesquisas e dos projetos finalísticos, até a entrega dos
resultados e sua divulgação à sociedade.
“É importante lembrar ainda que, o Planejamento não é uma ação finita e
completa. Pelo contrário. Para ser eficiente, ele precisa ser entendido como um
processo contínuo”, disse.
Fonte: CPRM – ASCOM
Data: 21/12/2017

Deixe um comentário

Visit Us On FacebookVisit Us On Instagram