BIZARRO: UMA PESSOA UTILIZA CERCA DE 18 TONELADAS DE MINÉRIOS POR ANO

Conheça o lado curioso e insólito da mineração e dos minerais: Supermadeira
supera o aço e se iguala ao titânio; Mineração agrava degradação do Mar Morto.
Uma pessoa utiliza cerca de 18 toneladas de minérios por ano
A instituição americana Society for Mining, Metallurgy & Exploration
Foundation divulgou dados sobre a quantidade de novos minérios utilizados por um
indivíduo nos Estados Unidos. São cerca de 18 toneladas se considerarmos todo tipo de
minério a ser consumido, tais como minério de ferro, cobre, zinco, alumínio, chumbo,
areia, cascalho e sal. Esse número leva em conta o que uma pessoa consome em média
nos Estados Unidos em um ano. O valor é influenciado por indústrias, como a de
construção, que elevam o número.
O principal elemento é o ferro, com 132 quilos, utilizado em carros, trens e
prédios. Depois vem o alumínio, com 20 quilos, usado em garrafas e automóveis. Em
seguida aparece o chumbo, com 11 quilos, muito utilizado em baterias e eletricidade.
Com informações da Vale.
Supermadeira supera o aço e se iguala ao titânio
Engenheiros da Universidade de Maryland, nos Estados Unidos, descobriram
uma maneira de tornar a madeira 10 vezes mais forte e resistente, criando uma
substância natural superior ao aço e de muitas ligas de titânio.
A madeira em lâminas pode ser dobrada e moldada no início do processo.
“Esta nova maneira de tratar a madeira torna-a 12 vezes mais forte do que a madeira
natural e 10 vezes mais dura”, afirmou o professor Liangbing Hu. “Isso pode ser um
concorrente para o aço ou até mesmo para ligas de titânio. Também é comparável à
fibra de carbono, mas muito mais barata”, declarou.
A madeira poderá aliviar a pressão para o cultivo e extração de madeiras
mais nobres e mais duráveis. “Madeiras macias, como o pinho ou a balsa, que crescem
rapidamente e são mais amigáveis com o meio ambiente, poderão substituir bosques
mais lentos, mas mais densos, como a teca, em móveis ou edifícios,” disse Hu. “Esse tipo
de madeira poderia ser usado em carros, aviões, edifícios, qualquer aplicação onde o
aço é usado”, afirmou. As informações são do site Inovação Tecnológica.
Mineração agrava degradação do Mar Morto
Cientistas constataram que o desaparecimento do Mar Morto tem ocorrido
a um vertiginoso ritmo de um metro por ano. Os poços são uma consequência da
escassez de água, motivada em grande parte porque os afluentes naturais do Mar Morto
estão sendo desviados para fins agrícolas e para a obtenção de água potável, necessária
para uma população crescente em Israel e também pela mineração na região, segundo
o governo israelense.
Algumas organizações ambientalistas atribuem a situação a uma gestão
hídrica falha no Oriente Médio, onde a instabilidade política impede o consenso para
acordos internacionais que possam frear o retrocesso do Mar Morto.
Quando a água se esvai, uma grande camada de sal, que por milhares de
anos ficou protegida, acaba sendo exposta e, quando esse sal se dissolve, o solo pode
colapsar, gerando as enormes crateras, com até 100 metros de diâmetro e 50 de
profundidade. As informações são da BBC Brasil.
Fonte: Notícias de Mineração
Data: 20/02/2018

Deixe um comentário

Visit Us On FacebookVisit Us On Instagram