BBX PRETENDE INICIAR PRODUÇÃO DE OURO NO AMAZONAS EM 2019

A BBX Minerals, dona de projetos de ouro no Amazonas, disse que pretende
ter a infraestrutura da mina pronta até o final deste ano. A informação, que consta de
apresentação feita para investidores, fez com que as ações da mineradora australiana
saltassem 35% em um só dia
No dia 31 de janeiro, quando a mineradora divulgou um relatório trimestral
e a apresentação, a ação estava cotada a 0,185 dólar australiano. No dia seguinte,
fechou a 0,25, o maior valor alcançado desde que suas ações tiveram as negociações
interrompidas em agosto de 2017 devido a problemas de interpretação e acuidade de
informações sobre dados de exploração e testes metalúrgicos. As ações somente
voltaram a ser negociadas no dia 10 de janeiro deste ano.
De acordo com um cronograma que consta na apresentação, o objetivo da
mineradora neste ano é confirmar que os projetos têm classe mundial.
No primeiro trimestre, a BBX pretende divulgar resultados de ensaios de
sondagens RC e adamantada para os projetos Três Estados e Ema, e iniciar testes
metalúrgicos mais amplos, testando de uma a duas toneladas por mês durante no
máximo seis meses.
Os dois trimestres seguintes serão dedicados a obter resultados do ensaio
da sondagem adamantada em Ema; continuar os testes metalúrgicos em lotes em uma
refinaria no Rio de Janeiro e iniciar a engenharia e o projeto de uma planta comercial de
pequena escala. Nesse período, a mineradora espera também ter calculado recursos
minerais segundo o padrão JORC e ter em mãos uma guia de utilização aprovada.
A mineradora solicitou, no ano passado, uma guia de utilização ao
Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM), que agora é a Agência Nacional
de Mineração (ANM).
No último trimestre deste ano, a mineradora diz que espera ter concluído a
metodologia de extração de ouro e executar as atividades de licenciamento de uma
pequena planta, bem como concluir a engenharia dessa planta e ter a infraestrutura da
mina pronta.
“Depois do teste bem-sucedido da planta piloto e da obtenção de licenças,
a construção de uma planta comercial de pequena escala é planejada para 2018-9”, diz
a apresentação.
Os principais projetos da BBX são Ema e Três Estados, em Apuí (AM). A Drake
Private Investiments, de Nova Iorque, é a maior acionista da empresa com 50,52% das
ações. No fim de 2017, a BBX tinha em caixa pouco menos de 600 mil dólares
australianos.
Fonte: Notícias de Mineração
Data: 02/02/2018

Deixe um comentário

Visit Us On FacebookVisit Us On Instagram